segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Bonzinho

Nunca confiei em gente "boazinha". Sempre que alguém me diz: "Fulano é tão bonzinho", desconfio, não gosto, rejeito. Bonzinho não é virtude; pode ser apatia, ausência de vida, gente acomodada ou medrosa. Mas não é boa qualidade moral. Bonzinhos se escondem, por medo ou por vergonha ou até por estratégia. Fulano é bonzinho? Cuidado com ele. Não se mostra; pode fazer o diabo!

Uma vez li: "quem puxa saco puxa tudo, inclusive o tapete". Presta a atenção. O bonzinho está sempre sorrindo para todos; "é tímido, coitado". Tímido nada. É sonso. E gente sonsa é das piores. Puxa tudo, saco, tapete, e, com a falsidade estampada na cara, engana a muitos. Não acredito nos bonzinhos; e não acredito que os bonzinhos são bonzinhos por falta de opção. Não, são bonzinhos por falta de verdade!

Dê uma oportunidade para o bonzinho ser mauzinho. Ele a aproveitará e, se bobear, com mais sucesso do que os que se mostram de modo mais honesto. Bonzinhos não são honestos. São torpes, esquivos, ariscos. Jamais olho para um bonzinho com condescendência ou compaixão; sequer dedico simpatia a eles. São feras mascaradas pelo medo ou pela covardia. Bonzinhos, quando agem na sua honestidade, derrubam tudo e todos que estão pela frente.



Não acredito na bondade da natureza humana. Não somos bons. Podemos ter atos de bondade, falas bondosas, momentos de virtude. Mas não somos naturalmente bons. Somos um apanhado de merdas históricas contra as quais lutamos diuturnamente, tentando nos expor o mais possível, domando as inclinações perversas e seguindo adiante honestamente. O bonzinho, este tipo exaltado por outros bonzinhos ou por tolos, não se expõe, não se mostra, vive um sorriso falso em um coração falso, cheio de podridão como qualquer outro; mas, traiçoeiramente, diz a todos: "oh, amigo, minha omissão a você". E como as pessoas gostam dos omissos; como confundem omissão com caridade; como acreditam que o embate é ruim em si mesmo e dele fogem como o diabo da cruz.

O bonzinho não é bom; é desprezível. Ser bonzinho não é ser bom. Bons podemos ser momentaneamente todos, inclusive esse tipo abjeto que é o bonzinho. Mas ninguém é bom. Temos atos de bondade; e muitos outros de vileza, mesquinhez, baixeza ou até mesmo de maldade. O problema é que querem definir o bonzinho como bom, e bom ele não é. Ninguém é. Bonzinho não é qualidade que se preze.

Nunca confiei em gente "boazinha".
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...